Início - Buscas recentes - Apoio para pastores - Assuntos diversos - Batalha Espiritual - Blog do Pastor - Estudos bíblicos - Teorias de Conspiração
Este site tem MAIS DE 3000 ESTUDOS - Faça sua busca: .

Esses dias em que a Igreja vive...

Ser Cristão Evangélico em nossos dias não é fácil, (sei que você me entende) bem, na verdade ninguém disse que seria, veja:

“Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus”. Atos 14:22

Temos visto cada coisa no “meio da igreja” nesses dias em que a igreja vive, que nos perguntamos:

Estamos Vivendo Os últimos dias?

Neste domingo 27/03/2011, houve um reportagem à noite em noticiários principal de uma emissora que chamou a atenção:

“Família religiosa que esperava o fim dos tempos desaparece misteriosamente - Uma família que parecia unida e querida pelos vizinhos tem uma mudança brusca de comportamento e desaparece com mistério de Diadema (SP), onde morava. A família saiu de casa sem nada, rasgou dinheiro e até documentos. Depois disso, ninguém sabe o que aconteceu com eles. Para os amigos e parentes, o desaparecimento da família está diretamente relacionado com o fanatismo religioso”.

Algo que considerei positivo na seqüência da reportagem, é que a emissora, apresentou um esclarecedor documentário em minha opinião, sobre o que é o Arrebatamento na Bíblia e os sinais inconfundíveis que o precedem.

Voltando a minha pergunta inicial: “Estamos Vivendo os últimos dias?”

Diante da pergunta, a Bíblia tem a resposta:

“Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências, E dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação. Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se”.
2ª Pedro 3:3,4,8,9

Compare Pedro, com:

“E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará”. Mateus 24:12 e

“Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição,” 2ª Tessalonicenses 2:3

Apostasia (em grego antigo [apóstasis], significa, "estar longe de") Tem o sentido de um afastamento definitivo e deliberado de alguma coisa, uma renúncia de sua anterior fé ou doutrinação. Pode manifestar-se abertamente ou de modo oculto.

Apostasia sempre existiu, mas no final dos tempos atingirá um nível muito elevado: "Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição" (2ª Ts 2.3). Quando o cristão passa a dar ouvido a "espíritos enganadores e a doutrinas de demônios", afasta-se das verdades bíblicas e comete apostasia (1ª Tm 4.1).

A apostasia não acontece de uma hora para outra. É um processo. É através do pecado voluntário, continuado, sem arrependimento, o fato em dar mais ouvidos a “uma secularização da fé” que diga que “as coisas nãos são bem assim como a Bíblia diz”, levam a apostasia.

A Bíblia é uma só. Porque tantas posições diferentes diante dela?

Li um artigo certa vez que trazia uma opinião sobre a igreja a partir da reforma o qual dizia:

“Durante a Idade Média ocorreu um obscurantismo espiritual que quase reduziu a zero a obra de Cristo, até surgir a Reforma e recomeçar de novo a pregação do evangelho e o ensino das doutrinas de Cristo. Muito por causa daquele obscurantismo, houve necessidade de recomeçar tudo. Com a evolução dos acontecimentos, a Bíblia foi impressa, traduzida nas mais diversas línguas e surgem também diversas correntes de opinião sobre as Escrituras. O certo é que as Igrejas Cristãs pregam o Evangelho de Jesus Cristo. Umas dão mais ênfase a determinados mandamentos ou doutrinas, outros não lhes dão tanta relevância. Daí surge uma diferença de pontos de vista e que está na base das diversas denominações. Em tese, todas as pessoas têm a sua maneira de pensar e de interpretar determinado tema Seguramente se eu e outro crente dissertarmos sobre determinado tema, não utilizaremos as mesmas expressões nem colocaremos o enfoque nas mesmas personagens ou pontos de doutrina. Isso não quer dizer que o assunto central não seja exatamente o mesmo e que o resultado não seja o mesmo, explicado de maneiras diferentes. É desta diferença de expressão, de opinião e de condução que muitas pessoas se baseiam para formar grupos e criar denominações.”

Até aí nem um problema, pois é assim mesmo que acontece e é saudável que a teologia, o estudo das Escrituras Sagradas, ajude ou ensine as pessoas a pensarem por si mesmas.

Continuava o artigo: “Porém A verdade sempre teve os seus falsificadores. Da mesma maneira que convém a todo cidadão reconhecer o dinheiro de seu país a fim de evitar problemas, assim devemos nós ser capazes de discernir a origem das diferentes doutrinas que nos são apresentadas. Cada uma delas deve ser submetida à prova conforme 1ª Tessalonicenses 5:21”

(Pra compreender melhor esta questão da interpretação da Bíblia, é urgente que leia agora, se possivel, meu artigo com o tema: “Temos dito a mesma coisa?”

Diante disso, como Cristãos o que fazer?

“Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes”. Tito 1:9

E

“E disse-me: Não seles as palavras da profecia deste livro; porque próximo está o tempo. Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda. E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra”. Apocalipse 22:10-12

Leitura complementar sugiro ler agora:

Lucas 17: 26-30, Tiago 5:7, Hebreus 12:1, 2ª Timóteo 4:8, 1ª Tessalonicenses 5:9, Apocalipse 3:10, Apocalipse 2:26,27

Pastor Rodrigo Martins
Professor de Escatologia Bíblica no Instituto Teológico Quadrangular


O artigo acima é colaboração de: Pr. Rodrigo M. de Oliveira
Professor de Teologia Sistemática na Cadeira de Apocalipse e Escatologia. Professor no Instituto Teológico Quadrangular.
Conferencista, e consultor teológico. Apologista Cristão Evangélico.
www.rodrigoteologia.blig.com.br
www.escatologia.blig.com.br

Realize em sua igreja: