Untitled Document
visitantes online
  ...NAVEGUE...
- Página inicial
- Sobre o Apóstolo Ricardo
- Ricardo Ribeiro Coach
- Referências
- Nossa agenda
- Galeria de fotos
- Galeria de vídeos
... 2975 ESTUDOS...
- Apoio para pastores
- Estudos bíblicos
- Notícias
- Reflexões
...REALIZE ...
- Escola de Libertação Financeira
- Escola Flecha no Alvo
- Escola Solta o que é Meu
- Escola Casal Super
- Relação completa
...INTERAJA...
- Cadastro de pastores e líderes
- Seja um colunista
-
Dê uma nota para este site
-
Deixar um depoimento
- Semeie
- Fale conosco
MINISTÉRIO APOSTÓLICO ATOS DOIS - EDIFICANDO VIDAS E IGREJAS

Porque devemos conhecer nosso inimigo
Tipo: Estudos bíblicos / Autor: Pastor Ricardo Ribeiro

 
O Antigo Testamento relata grandes batalhas e jornadas do povo de Israel. Todos estes relatos trazem-nos profundos ensinamentos que devem ser executados em batalha espiritual.

"Enviou-os, pois, Moisés a espiar: a terra de Canaã, e disse-lhes: Subi por aqui para o Negebe, e penetrai nas montanhas; e vede a terra, que tal é; e o povo que nela habita, se é forte ou fraco, se pouco ou muito; que tal é a terra em que habita, se boa ou má; que tais são as cidades em que habita, se arraiais ou fortalezas; e que tal é a terra, se gorda ou magra; se nela há árvores, ou não; e esforçai-vos, e tomai do fruto da terra. Ora, a estação era a das uvas temporãs." (Nm 13.17-20)

Doze espias foram enviados por Moisés para reconhecer a terra, por orientação do Senhor (Nm 3.2). Deus sabia exatamente o que esperava pelo povo, na terra prometida. Haviam pela frente muitos gigantes, povos bárbaros, porém para a grande conquista era necessário também uma grande luta. O povo não deveria temer, pois a guerra era de Deus, o próprio Senhor garantiria o povo, mesmo assim Deus ordena que se enviem espias para reconhecer a terra.
Para entrar em batalha, o povo precisou reconhecer exatamente quais seriam os tipos de ameaçar que deveriam enfrentar:

Qual a qualidade da terra a ser tomada (que tal é)
Qual o povo que habitava na terra e suas características como guerreiros (se eram fortes ou fracos)
A quantidade (pouco ou muito)
A qualidade da terra de habitação do adversário
Se os adversários habitavam em arraiais ou em fortalezas
Se a terra é fértil ou não (Se há árvores ou não)

O reconhecimento antes da batalha é uma prática extremamente necessária e essencial. Muitos crentes estão entrando em batalhas espirituais sem conhecer seus inimigos e suas armas. Satanás é astuto, e usa de astutas ciladas.
Devemos conhecer sobre o nosso inimigo. Estudar sobre sua natureza, seus métodos, armadilhas. Quais são seus “poderes”, e até onde vai sua força. Se não conhecermos nosso inimigo, nos tornaremos alvos fáceis para os dardos inflamados do maligno.
É bem verdade que muitos líderes não ensinam a igreja sobre este importante assunto, sob o argumento que “não perdem tempo falando do diabo”, ou que “o diabo não deve aparecer”. A questão não é essa.
Como dizia o cantor Raul Seixas: “o diabo nasceu há 10.000 anos atrás”. Os demônios são especialistas em tudo o que você pode imaginar. Eles acompanham o homem há centenas de gerações.
Eu diria que eles são especialistas em antropologia, geografia, história, sociologia, psicologia, etc. Sabem tudo sobre o homem, sabem tudo sobre você. Conheça também sobre ele, e Deus te usará como um soldado classificado para esta batalha.

NÃO SUBESTIME SEU ADVERSÁRIO

Um dos grandes ensinamentos que qualquer militar aprende é: Não subestime o inimigo. Na segunda guerra mundial, um do motivo de grande desgraça aos norte-americanos foi subestimar os vietnamitas, crendo na sua ineficiência por seu humilde armamento.
Mesmo sem um bom arsenal, os soldados vietnamitas usaram de inteligentes estratégias (astutas ciladas), e se escondendo por túneis e buracos, conseguiram durante muito tempo resistir aos ataques de seus opressores.

Deixe-me relatar dois fatos, verídicos:

Caso 1:
“Um certo ministro de libertação era usado com grande poder e autoridade na batalha espiritual. Um certo dia, ao expulsar um demônio, o inimigo olhou para ele e disse: me aguarde, eu ainda te pego. E saiu.
Meses depois, este ministro estava na rua, e uma jovem o pediu informações... conversa vai; conversa vem; quando se viu estavam entrelaçados em um hotel. O ministro distraiu, deu brecha. Em determinado momento, ao beijar a jovem, ela mordeu metade de sua língua, arrancando-a. No mesmo instante, ela olhou para ele com voz trêmula e disse: EU NÃO DISSE QUE TE PEGARIA!”

Caso 2:
“Certa vez, em uma igreja, um pastor, durante uma libertação, permitiu que o demônio falasse. Então o demônio disse: - Você, pastor, é um adúltero! Estava com uma prostituta ontem, às dez da noite e mentiu pra sua mulher que o carro tinha quebrado. Realmente no dia anterior, esse pastor estava voltando de uma cidade onde havia ministrado a Palavra de Deus onde muitas pessoas haviam sido tocadas pelo Senhor, aceitando-o como Salvador de suas almas. O demônio ficou muito irritado pelo sucesso do pastor e fez com que seu carro “apagasse” no meio da estrada, às 22:00h, quando ele ia voltando para sua casa. O pastor, sem vigiar, ficou irritado e esqueceu de orar repreendendo a ação de Satanás sobre a sua vida, o que faria o carro pegar imediatamente, e ficou tentando solucionar o problema com suas próprias mãos. Chegando em casa uma hora depois do horário previsto, contou a sua esposa o ocorrido. Quando o demônio falou aquilo no culto, acendeu-se a ira da esposa, porque realmente era aquilo que ela pensava (porque o inimigo havia implantado esse pensamento na sua mente). Resultado: o pastor foi afastado da igreja, a sua esposa pediu o divórcio. Tudo por causa de um demônio de terceira categoria, porém esperto, que soube aproveitar as falhas dessas pessoas.”

Satanás e os demônios são nossos piores inimigos. Você pode crer que eles são fracos, e que são submissos à autoridade do nome de Jesus. Eles podem até correr quando olham para você, devido a unção que Deus colocar sobre sua vida, mas não distraia, não subestime.
Nosso inimigo não tem pressa, ele não tem tempo para acabar com sua vida e ministério. Entenda que ele anda ao nosso derredor, esperando uma oportunidade para tragar-nos. Na maioria das vezes, o pecado abre esta oportunidade, e como você sabe “todos pecaram”.
Para trabalhar em libertação, precisamos saber que estamos envolvidos com uma grande responsabilidade, e manter-nos vigilantes, atentos, para que não caiamos em ciladas do maligno.
 

Escrito por: Pastor Ricardo Ribeiro (Maiores informações no final da página)
 
Expresse sua opinião sobre o texto acima:
Lembre-se que os artigos deste site não expressam diretamente a opinião do Apóstolo Ricardo Ribeiro, uma vez que temos um grande número de colunistas que, apesar de renomados escritores, representam diversas posições teológicas. No entanto, temos um cuidado especial para que neste site não seja defendida nenhuma heresia, por isso seu contato nos ajuda a manter a integridade de nossos estudos e o cuidado na escolha dos colunistas.
 
Nome: Email: Assunto:
Escreva aqui a mensagem para nossa Administração, sobre o texto que você acabou de ler:
Outros artigos desta coluna:
Características De Um Líder
Resistindo as Tempestades da Vida.
Os três aspectos dos dons da igreja
O Evangelho Que Ninguém Prega
O que você tem feito com o templo de Deus?
A Sexualidade Segundo a Bíblia
Perseguidor ou Perseguido?
Nossa Vida, Um Altar Para Deus
Quem Está No Comando?
Deus Prefere Te Ver Alegre
 

Clique para ler este artigo
O artigo acima é colaboração de " Pastor Ricardo Ribeiro "
Ricardo Ribeiro é foi consagrado ao ministério pastoral em 2004 e teve sua unção apostólica legitimada em 2013. Desde 2000 viaja por todo o Brasil treinando pastores, lideranças e igrejas nas mais variadas ramificações dos assuntos batalha espiritual, adoração, liderança e fé. Também é fundador e administrador do conhecido site atosdois.com.br. Congrega no Ministério Colheita Internacional em Teresópolis RJ, onde recebe paternidade espiritual do Apóstolo Arcélio Luis.

Na área "secular", Ricardo Ribeiro dirige a empresa CAQ - Consultoria em Atendimento de Qualidade, onde oferece recursos e treinamentos para empresas, principalmente no que se trata do atendimento ao cliente externo e satisfação do cliente interno. Ricardo atuou como diretor de qualidade da Makrofarma (multinacional da área de cosméticos), e gerente da Ultrarad (clínica médica radiológica em Copacabana RJ).

 
Desenvolvido por CAQ / A2 Webstudio - Acesse: www.atendimentodequalidade.com.br