Untitled Document
 
ENCONTRE O QUE PROCURA
NAVEGUE NO ATOSDOIS:
- Página inicial
- Conheça-nos melhor
- Cobertura Espiritual para Pastores
- Você precisa de um COACH
- Escola de Adoradores - 2014
- Nossa agenda
- Pregações em audio
- Galeria de fotos
- Galeria de vídeos

PROJETOS APOSTÓLICOS:
- Escola FLECHA NO ALVO
- Escola SOLTA O QUE É MEU
- Escola CASAL SUPER
- Palestras & pregações avulsas

NOSSOS 3020 ESTUDOS:
- Adoração
- Apoio para pastores
- Batalha Espiritual
- Casamento
- Cura Interior
- Estudos bíblicos
- Jovens libertos
- Libertação Financeira
- Liderança e Discipulado
- Notícias
- Oração e intercessão
- Reflexões

CONTATOS E INTERAÇÃO:

- Cadastro de pastores e líderes
- Seja um colunista
- Dê uma nota para este site
- Deixar um depoimento
- Semeie
- Fale conosco

online

 


 

Atenção: Os artigos deste site não expressam necessariamente a visão do Ministério Atos Dois ou do Apóstolo Ricardo Ribeiro. Nosso STAFF de colunistas é formado por mais de 100 escritores muito bem selecionados, no entanto representantes de diversas linhas de interpretação teológica. Verifique com atenção o nome do colunista, de acordo com o estudo ou artigo selecionado para leitura.
Caso você queira conhecer a linha de pensamento do Ministério Atos Dois, procure os artigos escritos pelo Apóstolo Ricardo Ribeiro, ou conheça nossas Escolas e Conferências de treinamento para pastores e igrejas.
Vai bem contigo?
Tipo: Estudos bíblicos / Autor: Escritores não cadastrados

 
Por: Elen Viana Lamarque

Neste segundo capítulo quero colocar como referência a mulher sunamita, onde encontraremos sua história no Antigo Testamento, para ser mais preciso, no Livro em Segunda Reis.

Esta mulher nos deixa como exemplo o amor ao próximo, a vigilância, e a pureza. E são estes assuntos que irei abordar neste capítulo.

O primeiro tópico é o amor ao próximo: Ao lermos sua história, podemos observar que esta mulher não conhecia Eliseu o profeta, todavia desde o primeiro dia que ela viu-o passar em frente de sua casa pôde perceber que se tratava de um homem de Deus, constrangendo-o a comer pão. A própria Bíblia nos relata na carta que o nosso amado apostolo Paulo escreve aos Corintios: ?Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parece loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido?. Quando aquela mulher viu a Eliseu, o Espírito Santo de Deus tocou em seu coração sensibilizando-a a alimentá-lo e ela, deu credibilidade à voz do Espírito.

Quantas vezes o Senhor Jesus toca em nossos corações para que façamos algo, porém relutamos?

É normal escutarmos alguém comentar que se tivesse dado ouvido à voz de Deus não teria passado por ?aquela situação?.

Mas esta mulher, não se importou com o aspecto físico de Eliseu, se era baixo ou alto, branco ou preto, bem ou mal vestido, se quando entrasse em sua casa iria sujar seu tapete ou não; no entanto a Bíblia nos relata que esta mulher era rica, conseqüentemente sua casa deveria ser luxuosa; porém ela preferiu dar crédito ao que seu coração lhe falava.

Quantas vezes você já foi vítima da acepção pelo preconceito da roupa que você estava usando, pela tua situação financeira, cor, nacionalidade, sociedade em que vive, e religião? Eu mesma, já fui vítima por várias vezes do preconceito da cor, por ser cristã e não negar o nome de Cristo; da situação financeira, e também por ser mulher.

Conheço uma irmã que certa feita, era uma andarilha, sem teto para morar, desprezada pela sociedade, porém um dia escutou a voz de Deus e obedeceu ao seu chamado. Hoje consagrada a missionária, anuncia a palavra de Deus pelo mundo, ao pregar aos andarilhos, abraça-os, mostrando-lhes que não há preconceitos, pois somos todos iguais. Eu admiro esta mulher! Pois ela conseguiu vencer a barreira do preconceito e agora procura mostrar as outras pessoas que o amor, como o Apóstolo Paulo escreve na carta aos Corintios, ?não se porta com indecência, não busca seus interesses, não se irrita, não suspeita mal. Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade?. E você? Se Deus tocar em seu coração para que não só de um prato de comida a um mendigo, e diga que Jesus ama-o, mas que também o abrace mostrando-lhe que perante Deus somos todos iguais; você o fará? Nunca se esqueça que Jesus se assentava com todos que quisessem escutá-lo, jamais ele fêz acepção de alguém por qualquer motivo que fosse. Deus tem prazer em falar, em ter comunhão conosco, todavia para que possamos ter comunhão com ele é necessário que sejamos obedientes a voz do teu Espírito.

Se um filho não é obediente aos pais, e começa a fazer tudo o que quer, sem importar-se, se irão aprovar ou não, conseqüentemente este irá sofrer muito na vida até amadurecer e conscientizar-se que errou. O Apóstolo S. João escreve em sua Primeira Epístola: ?Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo, para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça?.

Deus nos perdoa pelas nossas falhas, porém para que não venhamos a cair novamente no mesmo erro, é necessário que coloquemos Deus como prioridade em nossas vidas, obedecendo-o em tudo quanto ele nos mandar fazer.

O segundo tópico que esta mulher nos deixa como exemplo, é a vigilância.

Podemos ler na Bíblia Sagrada que esta mulher dirigiu primeiro a palavra ao seu esposo, antes de tomar qualquer outra atitude em relação ao profeta, relatando ao seu marido que já há algum tempo ela vinha observando e visto que Eliseu era um santo homem de Deus. Após comunicar ao seu esposo quem era Eliseu, ela fala-lhe sobre construir um quarto para o profeta, colocando os móveis necessários para que quando ele chegasse até aquela casa, tivesse um aposento para ali descansar. Observamos que somente após Deus falar-lhe em seu coração para que desse pão a Eliseu, é que ela convida-o para ?entrar em sua casa? usando assim de prudência.

Embora a Bíblia nos relate que o Espírito Santo de Deus revelou a mulher sobre a identidade espiritual de Eliseu, e não ao seu esposo; podemos observar que esta mulher usou de vigilância ao pronunciar ao seu marido a palavra ?façamos?, concretizando assim o desejo do casal e não somente dela, e se o seu marido concordou, é porque sua mulher inspirava-lhe confiança e prudência.

Ao lermos os jornais ou assistirmos os noticiários, veremos pessoas que embora tinham o desejo de fazer caridade, não buscaram a direção de Deus, e ao escutarem uma ?triste história? sensibilizaram-se colocando dentro de suas casas assassinos, estelionatários, estrupadores, acabando em desgraça aquilo que era para terminar em alegria; tudo isto devido a falta de vigilância e diálogo com Deus.

A Bíblia sagrada nos diz para que recebamos pessoas em nossa casa, porém ela nos recomenda quais as classes de pessoas a que devemos hospedar, como o apóstolo Paulo escreve na carta aos Romanos: ?Recomendo-vos, pois Febe, nossa irmã, a qual serve na igreja que está em Cencréia; para que a recebais no Senhor, como convém aos santos, e a ajudeis em qualquer coisa que de vós necessitar; porque tem hospedado a muitos, como também a mim mesmo?.

Se prestarmos atenção a estes versículos poderemos ver que Paulo recomenda Febe; porém para que ela fosse recebida, ele continua em sua carta dizendo que ela congregava em uma igreja que ficava em uma cidade onde Paulo conhecia e que possivelmente estas pessoas também. Segundo ponto: Paulo declara que Febe também era caridosa, e que já havia hospedado inclusive a Paulo, conseqüentemente ele sabia o paradeiro dela, se dava bom testemunho ou não. Portanto antes de hospedarmos alguém, a própria Bíblia nos ensina para que tenhamos conhecimento de quem vamos receber, para que futuramente não venhamos a perecer.

Outro ponto que o Espírito Santo de Deus chamou-me a atenção é o fato da sunamita e seu esposo fazerem um quarto a parte para o profeta, (embora naquela época era normal fazerem este tipo de arquitetura para receberem um hóspede) não intervindo na privacidade da família.

Posso me recordar de quando eu era criança; morávamos em uma cidade praiana onde passei a maior parte da minha infância e adolescência.

Certa feita, meu pai trouxe um homem em casa, (nesta época eu tinha uns 12 para 13 anos) onde ele dizia ser construtor; bem trajado, retórico, agindo de firmeza em suas palavras e atos. Meu pai convidou-o para que ele almoçasse conosco; e durante o almoço os dois conversaram sobre uma casa que meu pai estava começando a construir.

Lembro-me bem deste dia, em que meu pai iludido pelas palavras deste homem, deu aval para que o mesmo continuasse a construção da casa.

O interessante é que de um almoço, aquele homem passou a dormir em casa, todas as vezes que estava na cidade realizando a construção; e aos fins de semana ele dizia que ia até sua casa na capital.

Era de se admirar a audácia daquele homem, pois um dia levou meus pais até a capital numa loja de materiais de construção, apresentou-os ao dono da loja, ajudou meus pais a escolherem os materiais, arrumou alguns homens para irem até a cidade para ajudarem na construção e por fim retornaram para casa.

Meu pai admirou tanto o empenho daquele homem, que o apresentou para muitas pessoas na cidade afim de que ele empreitasse mais obras.

Passado algum tempo, aquele homem que dormia e almoçava em nossa casa, (por sinal muito exigente quanto a comida, falo isso sem restrições, pois muitas das vezes vi meu pai pegar o pouco dinheiro que tinha no bolso e comprar peixe, de preferência ?tainha? para que eu pudesse cozinhar com coco, pois este era o prato que aquele homem mais gostava) desapareceu da cidade sem dar satisfação, levando todo o dinheiro que meu pai havia-o pagado para a construção da casa, lesando a outras pessoas também; deixando para trás os homens que trouxe da capital e que por sinal eram para estarem sobre a sua direção. Estes pedreiros e serventes, ficaram em uma cidade desconhecida, sem família, pois as mesmas residiam na capital, sem dinheiro tanto para irem embora como pelo serviço que eles prestaram na construção.

Pude sentir em meus pais a dor ao saberem que haviam tanto hospedado como entregado a um estelionatário o único dinheiro que tinham para realizar a construção.

Para o meu pai, além da casa não terminada ficou para ele pagar os homens e enviá-los de volta para seus lares, pois estes também foram vítimas do falsário.

Por falta de vigilância e íntima comunhão com Deus, o final desta história foi à venda do imóvel para a quitação das dívidas que ficaram.

Hoje, depois de convertida ao Cristianismo, posso entender que se meus pais naquele tempo tivessem pedido orientação a Deus, certamente o Senhor Jesus iria preveni-los de alguma possível eventualidade, pois a Bíblia nos diz no livro do profeta Amós, no Antigo Testamento: ?Certamente o Senhor Jeová não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas?.

Outro tópico que quero compartilhar com você querida leitora, ao continuar a ler a passagem da sunamita, quando o profeta Eliseu agradecido pelo desvelo daquela mulher, pergunta-lhe se haveria alguma coisa que ela necessitasse, e que tivesse que interceder ao rei, pois os profetas gozavam de consideração junto às autoridades. No entanto aquela mulher responde ao profeta ?que habitava no meio de seu povo?. Analisando a resposta da sunamita ?no meio do seu povo? creio que ela queria que Eliseu entendesse que convivia num círculo de pessoas que se entendiam, que tinham comunhão, fraternidade, que professavam a mesma fé, e se necessitasse de alguma coisa não seria difícil para ela falar ao rei, pois aquele era ?seu povo?, e o que ela e seu marido fizeram para Eliseu foi por amor ao próximo, e não com interesse por ele ser um profeta. Todavia o que ela gostaria de ter, o rei jamais poderia conceder-lhe que era o de ser mãe. Embora a sunamita sabendo que Eliseu era um homem de Deus, e que poderia revelar-lhe seu desejo, ela jazia de intima comunhão e indubitável fé em Deus, esperando silenciosamente nele, como o salmista escreve no versículo primeiro do Salmo 121: ?Os que confiam no Senhor, são como os montes de Sião, que não se abalam, mas permanece para sempre?.

Quantas vezes eu deixei de alcançar um objetivo ao contar meus sonhos a pessoas que eu pensei que me ajudariam com uma palavra ou em oração, no entanto ao escutarem o que eu falava, diziam que eram simples ?devaneios?, preconizando então que nunca conseguiria alcançar meus objetivos, entristecendo-me, e assim, muitas vezes eu acabava concordando colocando um fim aos meus anseios.

Após muitos tombos na vida, aprendi que se tratando de ?sonhos? somente deveria contar a Deus, pois para muitas pessoas, esta palavra significa ?ilusão?, utopia, algo que esta só no pensamento e que nunca irá se concretizar. Porém eu prefiro crer na mensagem que o apóstolo Paulo escreve aos Filipenses: ?Posso todas as coisas naquele que me fortalece?. Em Jesus eu posso todas as coisas, aleluia!

Quando Eliseu mandou que chamasse a sunamita e lhe revelou que ela teria um filho; podemos ler que a mulher referiu-se ao profeta como ?homem de Deus?, pedindo para que ele não mentisse a ela; logo, podemos entender que possivelmente outros que se diziam ?profetas de Deus?, já teriam profetizado este mesmo fato, porém não havia se cumprido. Doravante, a sunamita tinha observado que Deus era com Eliseu, tanto é que o Espírito Santo havia tocado em seu coração para que construísse um quarto a ele; por estes motivos ela não queria decepcionar-se, pois se fosse somente para agradar-lhe era melhor que não profetizasse do que profetizar e não cumprir!

Em suma, entendemos que a sunamita ficou receosa quanto a profecia de Eliseu. Quem sabe ela pensou que por ser rica e ter feito bem ao profeta ele não entregou aquela profecia de que ela iria dar a luz a um filho, somente por interesse? No entanto, podemos ler que esta profecia se cumpriu no tempo oportuno, testificando então o que as Sagradas Escrituras nos revela no livro do profeta Malaquias: ?Então vereis outra vez a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não serve?.

A Bíblia nos revela no Livro em primeira Reis, uma passagem que relata quando o rei Acabe foi consultar a Deus através de ?seus? profetas se ele e o rei Josafá iriam a peleja contra Ramote-Gileade ou deixariam de ir. No entanto seus profetas querendo o agradar, falaram-lhe que subisse a peleja, pois Deus entregaria seus inimigos em suas mãos. Se continuarmos a leitura observaremos que ao invés de Deus, um espírito maligno é que usou a boca dos profetas, pois estes deram brechas, todavia tinham receio de perderem as ?mordomias? do palácio. No entanto o rei Josafá perguntou a Acabe se não teria um outro profeta que ele pudesse consultar; creio que Josafá havia observado que aqueles profetas viviam na dependência de Acabe, então preferiu escutar a profecia de outro profeta que não desfrutasse dos favores do rei. Só então chamaram a Micaías que profetizou a derrota do rei de Israel, este, porém não aceitou o que o profeta lhe falou, ordenando que Micaías fosse entregue ao cárcere com escassez de pão e água até que Acabe e Josafá voltassem vitoriosos da batalha. No entanto quando foi subir a peleja com o rei de Judá, o rei Acabe disfarçou-se pois temia que os soldados sírios o reconhecessem. Porém o que me chamou a atenção, é que Acabe sabia que a profecia de Micaías era verdadeira, tanto é que ele disfarçou-se para poder guerrear, no entanto seus caprichos é que deveriam prevalecer. Todavia, ele pagou com sua vida por não dar ouvido a voz de Deus.

Em nosso dia-a-dia não é diferente, deparamo-nos constantemente com pessoas, que parecem ser de boa índole, bem trajadas, linguajar apurado, demonstrando até ter um certo conhecimento Bíblico, porém quando passamos a conviver com elas podemos ver que não fazem uso daquilo que ministram. Outras no entanto, preconizam não o que Deus revela e sim o que a pessoa gostaria de escutar, pois receiam perder ?as tais mordomias? ou caírem no anonimato. No entanto a Bíblia nos ensina no livro que o apostolo Paulo escreve aos Tessalonicenses; ?Não desprezeis as profecias; julgai todas as coisas, retende o que é bom.? Deus nos adverte para que não desprezemos as profecias, porém o Senhor permite que nós a analisemos. Quando falamos o que Deus nos manda, Ele é fiel para cumprir. Bom é que: toda mulher que exerça uma liderança ou posição de destaque (seja ela: esposas de obreiros, profissionais afins e etc) esteja constantemente em comunhão com Deus para que possa escutar sua voz, e fazer segundo o que ele manda, não desprezando a ninguém e sim como a Sagrada Escritura nos ensina: ?Se possível,quando depender de vós tenha paz com todos?.

Certa feita, eu fazia visitas em uma entidade com um grupo de pessoas semanalmente. Numa destas visitas, conheci um homem que cantava e tocava louvores ao som de seu violão, demonstrando sinal de arrependimento do que outrora havia cometido. Sempre que íamos a aquela entidade, lá estava ele, alegre cantando e salmodiando ao Senhor.

Passado alguns meses, eu e minha família estávamos juntamente com um amigo, em uma festividade, no final quando nos preparávamos para irmos embora aquele homem que certa feita estava naquela entidade onde eu visitava, pediu uma carona, alegando ser uma pessoa totalmente diferente daquela que eu conheci. Quando ele me viu fingiu que não me conhecia, mesmo eu chamando-o pelo nome, pois estava fêliz em vê-lo na igreja, porém ele falou que nunca havia me visto.

Alguns dias depois eu estava com minha filha caminhando na rua quando aquele homem apareceu na minha frente, fazendo-me ameaças se eu falasse mais uma vez a alguém que um dia o havia visto naquela entidade, pois quando ele se apresentava a alguém dizia ser outra pessoa.

Quantos não estão usando a Bíblia, sem nunca até terem sido membros de uma igreja, para cometer delitos?

Pois sabemos que o cristão é bem vindo nos lares, nas instituições, nos estabelecimentos comerciais, e em alguns lugares temos até o passe livre para entrar, por sermos pregadores da palavra de Deus.

Eu posso testificar piamente, pois quando me dirijo a algum lugar ou viajo e me perguntam de que Igreja sou e quem é o meu pastor; e digo que sou ovelha do pastor presidente Antonio Munhoz, sou bem recebida pois tenho um ponto de referência que por sinal é excelente.

Agora imaginem: se o meu pastor não desse bom testemunho com certeza eu não seria bem recebido por onde ando.

No livro em primeira Samuel, podemos ler aquela passagem quando o profeta Samuel vai até a casa de Jessé para ungir um de seus filhos, para que fosse o rei de Israel, no entanto ao chegar naquela casa o Senhor fala á Samuel: ?Não atentes para a sua aparência nem para a altura da sua estatura, porque o tenho rejeitado, porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que esta adiante dos seus olhos, porém o Senhor olha o coração?. Esta passagem chama muita a minha atenção, pois Samuel foi ao intuito de ungir um dos filhos de Jessé, e cada um de seus filhos que era-lhe apresentado, eram bem vistosos, porém o escolhido para assentar-se no trono de Israel, segundo a vontade de Deus, era Davi, o filho ?caçula? de Jessé que estava cuidando das ovelhas.

Um certo dia eu e uma amiga fomos na casa de uma mulher em que Deus usava-a na profecia, porém quando estávamos chegando em frente de sua casa, o Senhor falou claramente ao meu coração que guardasse o celular que estava na minha cintura, e tirasse os óculos de sol e guardasse-os na bolsa. O interessante é que quando minha amiga foi estacionar seu carro, o único lugar propício era distante daquela casa. Quando chegamos ao portão, perguntei ao Senhor o porque de tudo aquilo e o Senhor me respondeu que era para que a irmã desse lugar somente para ?ELE? usá-la; pois o homem baseia-se pelo que vê e Deus é o único que nos conhece verdadeiramente; somente ele sabe o que realmente necessitamos e quem somos.

Comentando ainda sobre o tópico da vigilância, se continuarmos a ler a passagem da sunamita, veremos que crescendo seu filho, um dia ele adoece e morre sobre os joelhos da mãe ; então ela colocou-o na cama do profeta e fechou sobre ele a porta.

Todavia ela pede que seu marido mande-lhe um dos moços e uma jumenta para que corra ao homem de Deus afim de que ele volte.

Porém seu marido lhe pergunta qual o motivo dela procurá-lo pois aquele não era um dia propício para falar com um profeta. No entanto ela somente lhe diz ?tudo vai bem?.

Analisando estes versículos podemos entender que :

1. Creio que ela não queria preocupar seu esposo quando se dirigiu a ele para pedir-lhe a jumenta e um moço; primeiro por ele estar trabalhando, e possivelmente seria o patrão, de sorte que sua presença era importante junto aos segadores. Segundo; ele já era idoso, portanto uma notícia desta iria abalar grandemente sua saúde, e quem sabe não abalaria até sua fé em Deus? Mesmo porque podemos ler o início desta passagem onde Deus revelou a identidade de Eliseu a sunamita e não a seu esposo; podemos imaginar que ela buscava mais a Deus que seu marido sendo este o motivo pelo qual o Senhor revelou a ela. Portanto sua fé em Deus não enfraqueceria, porém com seu marido poderia ser diferente.

O rei Salomão escreve no livro de Provérbios ?Bem aventurado o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento?. Embora a Bíblia nos ensine como nos portar perante situações, posso ver mulheres que por não buscarem o conhecimento nem a sabedoria divina, quando precisam resolver uma questão, não conseguem se conter, e logo tocam a ?trombeta? dando sinal para todos de que está com um problema.

E você, como se portaria em meio a uma situação igual a da sunamita? Você é daquelas que em meio a um problema logo liga para seu marido que está no serviço sem antes lhe perguntar se está tudo bem, porem já vai relatando tudo, o que poderia ser falado em casa? Seu semblante também muda acusando a todos de que alguma coisa não está bem?

Muitos casamentos estão indo por água a baixo porque muitas mulheres acabam desabafando seus problemas conjugais com pessoas erradas, e estas fora dos princípios Bíblicos acabam dando certos tipos de conselhos que acabam em separação.

2. Podemos ler que a sunamita colocou seu filho na cama do profeta e fechou a porta. Primeiro ponto: cama; lugar de descanso, também pode ser comparada a lugar de reflexão, de intima comunhão com Deus, com o mundo espiritual através dos sonhos,das revelações, como foi o caso do profeta Samuel, em que ao deitar-se Deus se revelou a ele. Também podemos ler na Bíblia precisamente no Novo Testamento no livro de Atos dos Apóstolos : ?E Deus, pelas mãos de Paulo, fazia milagres extraordinários, a ponto de levarem aos enfermos lenços e aventais do seu uso pessoal, diante dos quais as enfermidades fugiam das suas vítimas, e os espíritos malignos se retiravam? .

Conseqüentemente a sunamita acreditava que ao contato de seu filho ainda que moribundo, na cama do profeta, sua unção poderia passar para o menino, fazendo-o acordar do sono da morte, mesmo porque foi este profeta que deu vida ao sonho da sunamita em conceber um filho. Segundo ponto: ela fecha a porta. Creio que o ato dela fechar a porta significou que não queria compartilhar com ninguém sua dor a não ser com Deus e o profeta, mesmo porque muitos não entenderiam e ao invés de lhes ajudarem poderiam fazer com que ela não cresce que poderia ter seu filho de volta.

Acontecessem fatos em nossa vida que para Deus nos abençoar é necessário que ao Jesus entrar em nosso coração fechemos a porta... para o mundo, a porta da nossa boca , a porta da nossa incredulidade da nossa falta de fé, e por que não ser literal dizendo a porta de nossa casa ? Mesmo porque quando é necessário um milagre como foi no caso da viúva, onde Deus iria multiplicar o azeite, a Bíblia nos relata que ela juntamente com os filhos após estar com as vasilhas, fechou a porta para que Deus começasse a encher os cântaros, pois se esta viúva tivesse falado a todos seus vizinhos que as vasilhas seriam para o Senhor derramar diretamente do céu o azeite, tenho certeza que muitos não iriam crer e quem sabe até atrapalhar a fé desta viúva.
O versículo 24 da passagem da sunamita chama-me muito a atenção, pois nos diz que primeiro ela ?albardou?, isto é; colocou a sela na jumenta para depois caminhar em segurança. Notamos então que em nenhum momento esta mulher saiu fora de si, esteve lúcida e controlada o tempo todo .

Quantas vezes o desespero bate na sua porta em meio a uma luta, fazendo com que você haja precipitadamente, e no final acabando em uma tragédia?

Esta mulher nos ensina até como se manter sóbria, lúcida em meio a uma prova que é, controlar-se; pois somente quem se controla consegue manter o controle da situação.

Podemos notar que a sunamita também instruiu o moço que guiava a jumenta para que não parasse no caminho, senão quando ela mandasse. Analisando este versículo podemos entender que ela não queria perder tempo parando para comentar o fato a outras pessoas, ou escutar outros assuntos que fizessem com que a desviassem do seu intento.

Quantas vezes saímos para fazer algo, e no caminho encontramos alguém e mudamos o nosso curso, e quando chegamos em casa lembramos que aquilo que ?era ? importante havia passado para segundo plano, e então temos que voltar novamente em busca do que era para estar em primeiro plano, com isso quantos compromissos atrasamos por falta de vigilância.

Eliseu o profeta quando viu a sunamita de longe mandou que Geazi corresse até ela e lhe perguntasse se ia bem com ela, com seu marido, com seu filho ; porém a mulher lhe disse que ia tudo bem, mesmo porque o que ela tinha para falar teria que ser com o profeta , de sorte que Geazi não precisava ficar sabendo do que se tratava.

Querida leitora, a Bíblia nos diz ?um pouco de fermento leveda toda a massa?; aquela mulher agiu com sabedoria ao dizer a Geazi que tudo ia bem, mesmo por que ás vezes dizemos uma palavra para alguém, e este passa para frente aumentando ?vezes? mais. Um segredo, deixa de ser segredo quando confidenciamos a outra pessoa.

Deus trabalha de uma maneira que não podemos entender; quando a sunamita chegou até Eliseu, a Bíblia nos diz que ela pegou nos pés do homem de Deus, podemos ver que esta atitude significou um ato de humilhação, de quebrantamento. E o que observo é que Deus não havia revelado á Eliseu sobre a morte do menino, pois assim nos diz o versículo 27 na parte ?b?, e acredito que talvez se o Senhor tivesse revelado ao profeta, possivelmente ele já teria ido ao encontro da sunamita, mesmo porque foi ele quem profetizou que ela iria ser mãe.

Porém creio que Deus queria provar tanto a fé da sunamita quanto à de Eliseu, pois esta mulher lembrou o profeta de que ela não havia pedido um filho, porém havia pedido para que ele não mentisse a ela, como já escrevi anteriormente.

Aquela mulher revelou a Eliseu, seu sofrimento até então encoberto, pois sabia que somente ele poderia acabar com sua dor .

No entanto Eliseu ordenou para que Geazi fosse até onde o menino estava, levando seu bordão, porém não houve fôlego de vida na criança.

Só então Eliseu foi até aquela casa e entrando no quarto onde estava o menino, fechou a porta sobre eles ambos e orou ao Senhor.

Entendo, lendo este versículo que ao fechar a porta Eliseu, como a Sunamita, necessitava ter uma intimidade com Deus, e para que o Senhor operasse o milagre , ressuscitando o menino.
No evangelho segundo S. Mateus, este nos ensina: ?Tu porém, quando orares, entra no teu quarto e fechada à porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará?.

Há momentos em nossas vidas, mesmo Deus já havendo nos capacitado, que para o Senhor operar o milagre através de nós, precisamos descer um pouco mais na casa do oleiro, e deixar Deus operar o milagre como Ele bem entende.
Pois é necessário que diminuamos, para que a palavra de Deus cresça.

Bom seria se Eliseu não precisasse fechar a porta, e operasse o milagre na frente de todos, porém Deus sabe que se fosse realizado em público muitos iriam até idolatrar o menino ou a Eliseu, ou até atrapalhar sua comunhão com Deus; pois o Senhor opera na simplicidade, sem fazer alarde.

Querida leitora, tenho certeza que após este estudo, no seu dia-a-dia estarás usando de mais prudência e vigilância como a sunamita, e tanto o seu ministério, de seu esposo como sua vida conjugal irão apartir de hoje serem bem sucedidos.

Quem sabe você está neste momento num leito de hospital, ou numa penitenciária, ou em outro lugar que a impossibilite de ir a uma igreja receber o milagre que você tanto almeja, porém posso te afirmar que como Eliseu, que teve que fechar a porta e ficar sozinho com o menino que por sinal estava moribundo, e clamar a Deus, para que o milagre acontecesse; posso te afirmar que você também não está só. Jesus está contigo, e ele quer ouvir sair da sua boca você testificar que ele é ?o caminho, a verdade, e a vida?, e se você crer pelos olhos da fé, hoje o milagre na tua vida irá acontecer!

Elen Viana Lamarque - Bacharel em Teologia - membro da Igreja Evangélica Assembléia de Deus ? Belém ? Americana ? SP.

 

Escrito por: Escritores não cadastrados (Maiores informações no final da página)
 
Expresse sua opinião sobre o texto acima:
Lembre-se que os artigos deste site não expressam diretamente a opinião do Apóstolo Ricardo Ribeiro, uma vez que temos um grande número de colunistas que, apesar de renomados escritores, representam diversas posições teológicas. No entanto, temos um cuidado especial para que neste site não seja defendida nenhuma heresia, por isso seu contato nos ajuda a manter a integridade de nossos estudos e o cuidado na escolha dos colunistas.
 
Nome: Email:
Assunto:
Escreva aqui a mensagem para nossa Administração, sobre o texto que você acabou de ler:
 
Outros artigos desta coluna:
O Evangelho Que Ninguém Prega
O que você tem feito com o templo de Deus?
A Sexualidade Segundo a Bíblia
Nossa Vida, Um Altar Para Deus
Quem Está No Comando?
Deus Prefere Te Ver Alegre
O que você tem feito com o que Deus te mandou fazer?
Enquanto o povo gritava GOL, a Dilma aprovava a LEI DA PALMADA
O Amor Que a Igreja Precisa
Onde existe um Acabe há uma Jezabel ...
 

O artigo acima é colaboração de " Escritores não cadastrados "
Os artigos desta coluna foram escritos por escritores diversos que não foram cadastrados como colunistas oficiais do Portal Atos Dois, porém mantemos a ética de citar o nome do escritor no final de cada artigo, ou caso não saibamos o nome, citamos a fonte (livro ou site de onde o artigo foi retirado). Agradecemos a tais colaboradores.

 
   

 

 

Escola FLECHA NO ALVO
Escola SOLTA O QUE É MEU
Escola CASAL SUPER
Palestras & pregações avulsas
Ajude-nos a continuar:
BB Agência 4398-2 / CC 5525-5 Após depositar não deixe de nos ligar, gostaríamos de agradecer e orar por sua vida: (21) 99624-5227 - Apóstolo Ricardo Ribeiro

Libertação Financeira

[ adquirir ]


O Calendário de Deus - Uma Revelação de Batalha Espiritual

[ adquirir ]

 


Desenvolvido por CAQ / A2 Webstudio - Acesse: www.atendimentodequalidade.com.br