Untitled Document
visitantes online
...CONHEÇA-NOS...
Página inicial
Sobre o Pastor Ricardo
Referências
Nossa agenda
Galeria de fotos
Cadastro de pastores
Deixe um depoimento
Loja Virtual (novo)
Fale conosco
... 3064 ESTUDOS & ESBOÇOS ...
Apoio para pastores
Estudos bíblicos
Notícias
PNL Bíblica
Reflexões
Superação e Motivação
Procure aqui:
... NÓS EM SUA IGREJA ...
Treinamento de Autoridade Territorial
Treinamento de Paternidade Espiritual
Encontro de Casais
Treinamento de INTELIGÊNCIA Financeira

Convite: Encontro de Casais Edição 2015

Convite: Escola INTELIGÊNCIA FINANCEIRA

... VOCÊ CONOSCO ...
Receba Paternidade Espiritual
- Ricardo Ribeiro Coach
- Coaching Ministerial
- Coaching Comportamental
- Coaching in Company
- Palestras Motivacionais

Estudo Completo sobre o Dízimo
Tipo: Estudos bíblicos / Autor: Pr. Paulo César

 
Por que sou dizimista?


1)Sou dizimista porque o dízimo é santo (Levítico 27:30-32);
2)Sou dizimista porque quero ser participante das grandes bênçãos (Malaquias 3:10-12);
3)Sou dizimista porque amo a obra de Deus, na face da Terra;
4)Sou dizimista porque Deus é o dono do mundo (Salmos 24:1);
5)Sou dizimista porque eu mesmo vou gozá-lo na casa de Deus (Deuteronômio 14.22-23);
6) Sou dizimista porque mais bem aventurado é dar do que receber (Atos 20:35);
7)Sou dizimista porque Deus ama o que dá com alegria (I Coríntios 9:7);
8)Sou dizimista porque tudo vem das mãos de Deus (I Crônicas 29.17);
9)Sou dizimista porque não sou avarento (I Timóteo 6:10);
10)Sou dizimista porque meu tesouro está no céu ( Mateus 6:19-21);
11)Sou dizimista porque obedeço a lei de Deus (Atos 5.29);
12)Sou dizimista porque a benção de Deus é que enriquece (Provérbios 10:22).

Sobre o que foi requerido que os judeus
pagassem o dízimo?

A ordem de Deus era de que tudo o que os judeus recebessem dariam o dízimo ao Senhor:
(Levítico 27.30-34): “Também todas as dízimas do campo, da semente do campo, do fruto das árvores são do Senhor. Porém se alguém das sua dízimas resgatar alguma coisa, acrescerá o seu quinto sobre ela. No tocante às todas as dízimas de vacas e ovelhas, de tudo o que passar debaixo da vara, o dízimo será santo ao Senhor. Não esquadrinhará entre o bom e mal, nem trocará, mas, se em alguma maneira tocar, o tal e o trocado serão santos; não serão resgatados. Estes são os mandamentos que o Senhor ordenou a Moisés, para os filhos de Israel no monte Sinai.”
Quando alguém por algum motivo gastasse o dízimo, a pessoa teria que acrescentar um quinto sobre o dízimo. Um quinto de 10% é igual a 2%, ou seja acrescentaria 2% do total sobre o seu dízimo. Será que estamos fazendo o mesmo?

Para quem era pago o dízimo?

Os dízimos eram pagos aos Levitas:
(Números 18.24): “Porque os dízimos dos filhos de Israel, que oferecerem ao SENHOR em oferta alçada, tenho dado por herança aos levitas; porquanto eu lhes disse: No meio dos filhos de Israel nenhuma herança terão”.
Deus queria que toda a nação fosse sacerdotal:
(Êxodo 19.6): “E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo. Estas são as palavras que falarás aos filhos de Israel.”. Porém por desobedecerem a Deus, Deus levantou a tribo de Levi, para trabalharem como tribo sacerdotal.

Os Levitas não tinham meios de rendas, gados, heranças que lhes assegurassem sustento. Por restarem serviços a tenda da congregação recebia os dízimos dos filhos de Israel:
(Números 18.21): “Eis que aos filhos de Levi tenho dado todos os dízimos em Israel por herança, pelo ministério que exercem, o ministério da tenda da congregação”.
Todavia, os Levitas não tinham permissão de ficarem com a totalidade dos dízimos recebidos, mas daquilo que lhes era concebido , eram obrigados a dar uma parte chamada dízimo dos dízimos:
(Números 18.26): “Também falarás aos Levitas e dir-lhes-ás: quando receberdes os dízimos dos filhos de Israel, que eu deles vos tenho dado em vossa herança, deles oferecereis uma oferta alçada ao Senhor: O Dízimo dos dízimos.”
(Neemias 10.38): “E que o sacerdote, filho de Arão, estaria com os levitas quando estes recebessem os dízimos, e que os levitas trariam os dízimos dos dízimos à casa do nosso Deus, às câmaras da casa do tesouro.”
Esses dízimos tinham de ser todas as dádivas:
(Números 18.29): “De todas as vossas dádivas apresentareis toda a oferta do Senhor: do melhor delas, à parte que é sagrada”.
Não podia ser entregue a qualquer pessoa, tinha que ser entregue ao sacerdote Arão:
(Números 18.28): “Assim também oferecereis ao Senhor uma oferta de todos os vossos dízimos, que receberdes dos filhos de Israel e deles dareis a oferta alçada do Senhor a Arão o Sacerdote.”

Para que era o dízimo?

O dízimo, primeiro, era o sustento dos levitas e sacerdotes (quem sabe se as igrejas de hoje, passassem a cuidar mais dos seus pastores e suas famílias), depois para os órfãos e obras sociais:
(Deuteronômio 14:29): “Então virá o levita (pois nem parte nem herança tem contigo), e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva, que estão dentro das tuas portas, e comerão, e fartar-se-ão; para que o SENHOR teu Deus te abençoe em toda a obra que as tuas mãos fizerem.” (Princípio de produtividade ligado ao trabalho)
(Gênesis 1:26): “E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra.”
A palavra tudo (ou toda) aparece, em Gênesis 1.26-31, 11 vezes: (v26= 2, v28=1, v29=3, v30=4, v31=1).

Onde é que os judeus deveriam oferecer seus Dízimos?

Competia-lhes trazer ao lugar que o Senhor vosso Deus escolhesse entre todas as tribos, para ali por o seu nome, Isto é, Jerusalém:
(Deuteronômio 12.5): “Mas o lugar que o SENHOR vosso Deus escolher de todas as vossas tribos, para ali pôr o seu nome, buscareis, para sua habitação, e ali vireis.”
(Ezequiel 5.5): “Assim diz o Senhor DEUS: Esta é Jerusalém; coloquei-a no meio das nações e das terras que estão ao redor dela.”
O oferecimento dos dízimos era transformado numa grande festa onde todos participavam:


(Deuteronômio 12:7-12): “E fiz assim, como se me deu ordem; as minhas mobílias tirei para fora de dia, como mobílias do cativeiro; então à tarde fiz, com a mão, uma abertura na parede; às escuras as tirei para fora, e nos meus ombros as levei, aos olhos deles. E, pela manhã, veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Filho do homem, porventura não te disse a casa de Israel, aquela casa rebelde: Que fazes tu? Dize-lhes: Assim diz o Senhor DEUS: Esta carga refere-se ao príncipe em Jerusalém, e a toda a casa de Israel, que está no meio dela. Dize: Eu sou o vosso sinal. Assim como eu fiz, assim se lhes fará a eles; irão para o exílio em cativeiro. E o príncipe que está no meio deles levará aos ombros as mobílias, e às escuras sairá; farão uma abertura na parede para as tirarem por ela; o seu rosto cobrirá, para que com os seus olhos não veja a terra."
Se Jerusalém fosse longe da vila onde morava o dizimista, o transporte de suas colheitas poderia criar um problema, Deus permitiu que fosse vendido tudo e teriam o dinheiro:
(Deuteronômio 14:22,24 e 25): “Certamente darás os dízimos de todo o fruto da tua semente, que cada ano se recolher do campo. E quando o caminho te for tão comprido que os não possas levar, por estar longe de ti o lugar que escolher o SENHOR teu Deus para ali pôr o seu nome, quando o SENHOR teu Deus te tiver abençoado; Então vende-os, e ata o dinheiro na tua mão, e vai ao lugar que escolher o SENHOR teu Deus;”
O que não podia era deixar de trazer o dízimo. A cada três anos, o dízimo era oferecido na própria terra do dizimista:
(Deuteronômio 14:28; 26:12): “Ao fim de três anos tirarás todos os dízimos da tua colheita no mesmo ano, e os recolherás dentro das tuas portas;” e “Quando acabares de separar todos os dízimos da tua colheita no ano terceiro, que é o ano dos dízimos, então os darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas portas, e se fartem;”

Ofertas e Dízimos

O dízimo era obrigatório, a oferta era voluntária:
(Êxodo 35:5): “Tomai do que tendes, uma oferta para o SENHOR; cada um, cujo coração é voluntariamente disposto, a trará por oferta alçada ao SENHOR: ouro, prata e cobre,”
Apesar da Oferta ser alçada, poderia ser estipulada:
(Êxodo 35:6,9): “Como também azul, púrpura, carmesim, linho fino, pêlos de cabras, e peles de carneiros, tintas de vermelho, e peles de texugos, madeira de acácia, e azeite para a luminária, e especiarias para o azeite da unção, e para o incenso aromático. E pedras de ônix, e pedras de engaste, para o éfode e para o peitoral.”

Três tipos de ofertas:
1)Do homem (Êxodo 35.23 e 24) coisas médias: “E todo o homem que se achou com azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino, e pêlos de cabras, e peles de carneiro tintas de vermelho, e peles de texugos, os trazia; todo aquele que fazia oferta alçada de prata ou de metal, a trazia por oferta alçada ao SENHOR; e todo aquele que possuía madeira de acácia, a trazia para toda a obra do serviço.”
2)Da mulher (Êxodo 35.25 e 26) coisas pequenas: “E todas as mulheres sábias de coração fiavam com as suas mãos, e traziam o que tinham fiado, o azul e a púrpura, o carmesim e o linho fino. E todas as mulheres, cujo coração as moveu em habilidade fiavam os pêlos das cabras.”
3)Do príncipe (Êxodo 35.27 e 28) coisas grandes: “E os príncipes traziam pedras de ônix e pedras de engastes para o éfode e para o peitoral, E especiarias, e azeite para a luminária, e para o azeite da unção, e para o incenso aromático.”

Idéias erradas quanto ao dízimo

1)Não é legalismo (dar o dízimo só pelo peso da lei);
2)Não é substituto das virtudes cristãs (entregar o dízimo não isenta o crente da prática das grandes virtudes. Em Lucas 11:42): “Mas ai de vós, fariseus, que dizimais a hortelã, e a arruda, e toda a hortaliça, e desprezais o juízo e o amor de Deus. Importava fazer estas coisas, e não deixar as outras.”; Jesus repreendeu os Fariseus porque davam os dízimos, mas desprezavam o juízo de Deus.
3)Não deve se transformar numa carga insuportável, deve ser uma manifestação espontânea.
4)Não concede poder de barganha (dar o dízimo para Ter privilégios na igreja).
5)Não nos torna merecedores da graça divina (o dízimo não compra a salvação).

Bênçãos advindas da fidelidade de dizimar

1)Quatro tipos de demônios são repreendidos:
a)Devorador (Malaquias 3:11);
b)Cortador (Joel 1:4, parte a) ;
c)Migrador (Joel 1:4, parte b), faz viagens periódicas em seu lar);
d)Destruidor (Joel 4.4, parte a).

2)Teremos respeito pelo de fora (Malaquias 3:12);
3)Vitória sobre a avareza (Efésios 5.5);
4)Deus abre o coração para nós (Malaquias)

Malaquias dividido em cinco partes


1)A eleição de Israel como povo de propriedade divina (1:6);
2)Os pecados dos Sacerdotes (1:7 a 2:9);
3)Casamentos com povos estranhos (2:10-16);
4)A esperança do povo (2:17 a 3:6);
5)Violência contra Deus (3:17-12).


A nação estava em crise econômica, seca e fome (Malaquias 3:9-11): “Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes. E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos.”. Não só os filhos de Levi (os sacerdotes) v3, mas também os filhos de jacó (toda a nação) estavam debaixo de maldição por não serem dizimistas v6. O povo estava desviado dos mandamentos de Deus v7a . Deus faz um chamado ao arrependimento, mas o povo achava que não havia necessidade de mudança v7b. Deus passa a mostrar ao povo em que estavam errados.

 

  Você pode fazer um treinamento inividual sobre este ou um de nossos outros temas VIA SKYPE (video conferencia em tempo real) com o Pastor Ricardo Ribeiro ou um dos mestres do Ministério Apostólico Atos Dois. Clique aqui e saiba maiores informações.  


Escrito por: Pr. Paulo César (Maiores informações no final da página)
 
Expresse sua opinião sobre o texto acima:
Lembre-se que os artigos deste site não expressam diretamente a opinião do Apóstolo Ricardo Ribeiro, uma vez que temos um grande número de colunistas que, apesar de renomados escritores, representam diversas posições teológicas. No entanto, temos um cuidado especial para que neste site não seja defendida nenhuma heresia, por isso seu contato nos ajuda a manter a integridade de nossos estudos e o cuidado na escolha dos colunistas.
 
Nome: Email: Assunto:
Escreva aqui a mensagem para nossa Administração, sobre o texto que você acabou de ler:
Outros artigos desta coluna:
Intimidade com Deus - Parte 2
O Rio da Graça
Escudo Que Brilha Reflete As Flechas Espirituais
Onde Foi Que Eu Errei?
A Alegria Precisa Ser Alimentada
O Maior Motivo de Todos
A aventura de Felipe
Duas Classes De Crente
Congregação dos ímpios.
 

O artigo acima é colaboração de " Pr. Paulo César "
Membro da Assembléia de Deus de Santro Anderé - São Paulo
Mestre em teologia - Professor de várias matérias teológicas
Foi co-pastor da Igreja Pentecostal de Língua Portuguesa em Nova Jersey - USA
Contato: 11 49732895

 
Destaques

 

Adquira nossos DVDs e livros diretamente em nossa loja virtual, e receba o material diretamente no conforto de sua residência.

Aproveite!
Clique aqui

 

:: AGENDA 2015 ABERTA ::

A agenda do Pr. Ricardo Ribeiro já está disponível. Saiba mais sobre sua proposta de trabalho para 2015 e agende uma visita em sua igreja:

- Treinamento de Autoridade Territorial
- Treinamento de Paternidade Espiritual
- Encontro de Casais
- Treinamento de INTELIGÊNCIA Financeira


* Frete incluído no valor (território nacional via correios).

Este livro foi escrito pelo Ap. Thiago Pixinine, discipulo do Ap. Ricardo Ribeiro, inspirado em muitas noites de estudo e conversa entre os dois.

Sinopse:

Posso dizer que foi no mínimo assustador descobrir que um dos maiores “inimigos” de Deus na história da humanidade, foi escondido nas linhas das Escrituras, por uma tradução banal que nos faz simplesmente ignora-lo. De fato os pouquíssimos estudiosos cristãos se dedicaram a investigar quem seriam estes “postes-ídolos” citados centenas de vezes na Bíblia, sempre sendo confrontados pelos profetas do Eterno. Quem são os “postes-ídolos”? Porque Deus sempre fez questão de denunciá-los. Será que eles simplesmente desapareceram, ou continuam “infiltrados” na sociedade moderna? Que tipo de mal os “postes-ídolos” podem trazer ao ambiente e as pessoas ao seu redor?
São muitas as perguntas, e muitas as respostas. Este não é apenas um livro, mas uma profecia. Meu objetivo é dar continuidade ao ministério profético de denúncia dos “postes-ídolos”, cujo nome original é “Asherá”.
Após a leitura deste livro, você nunca mais verá o mundo da mesma maneira. Asherá está em toda parte. Nas ruas, nas artes, na economia, na cultura, na religião, no calendário.

“Não estabelecerás poste-ídolo, plantando qualquer árvore junto ao altar do SENHOR, teu Deus, que fizeres para ti” Deuteronômio 16.21

Tamanho: 18 x 11 - 64 páginas.

Livro: Asherá - o Espírito por trás da Àrvore

* Preço incluindo frete por correio, em territorio nacional.

Desde o início das civilizações e da relação de Deus com os homens, ficou muito claro o cuidado do Eterno com os nomes. Não é coincidência o fato de locais e pessoas da Bíblia terem nomes que explicam exatamente quem são. Babilônia significa confusão, Jerusalém, Paz.
Percebi que por onde Deus “passava” e via um nome desalinhado com seus propósitos, Ele mesmo corrigia o nome. Foi assim com Abraão, Sara, Israel, Paulo, Pedro.

Como Igreja, devemos fazer o mesmo, principalmente em relação ao Nome de Deus, fazendo assim cumprir-se a oração do Pai Nosso: “Santificado seja o Teu Nome”.

Qual será o verdadeiro nome de Deus? Qual será o nome do Filho? Sobre isso falaremos com profundidade neste livro.

Formato: 18 x 11 - 84 páginas.

Livro: O Nome de Deus

* Preço incluindo frete por correio, em territorio nacional.

Ao contrário do que muitos pensam, um calendário é muito mais do que uma ferramenta cultural. É uma estratégia espiritual. O calendário tem o poder de mover massas a realizarem festas, cerimônias, pactos e rituais.

O mundo é regido pelo calendário gregoriano, e maliciosamente é manipulado a feriados e festas envolvidas de paganismo e invocações. Até mesmo os dias da semana são homenagens a divindades nórdicas amaldiçoadas.

Poucos sabem que a Bíblia ensina o Calendário de Deus, e este tem suas bênçãos e dispensações liberadas para seu povo em particular.  

Este livro ensina tudo sobre a guerra dos calendários, além de fornecer estratégias de oração e guerra espiritual, envolvendo o calendário de Deus.

Formato: 21 x 14 - 84 páginas.

Livro: O Calendário de Deus

* Preço incluindo frete por correio, em territorio nacional.

Kit com 5 Dvds com cerca de 10 horas de treinamentos da Escola de Liderança Avançada, realizado pelo Ap. Ricardo Ribeiro e colaboradores especiais.

Dentre os assuntos tratados:

- A liderança do Eu
- Liderança Assertiva
- Como utilizar o Rapport no aconselhamento 
- Liderança servidora
- Liderando em tempos de crise

O material é completo, filmado em alta definição no centro de convenções do Hotel Vila Nova, em Teresópolis Rj.

Kit de treinamento: Escola de Liderança Avançada





Desenvolvido por CAQ / A2 Webstudio - Acesse: www.atendimentodequalidade.com.br