Jesus e Bartimeu, o cego

Jesus e Bartimeu, o cego

A – Que miséria!
Marcos: 10. 46. “Estava assentado à beira do caminho um mendigo cego, Bartimeu filho de Timeu”.

B – Que clamor!
47. Este, quando ouviu que era Jesus, o nazareno, começou a clamar, dizendo: Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim!

C – Que obstáculo!
48. E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava ainda mais: Filho de Davi, tem misericórdia de mim!

D – Que sensibilidade!
49. Parou, pois, Jesus e disse: Chamai-o. E chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, ele te chama.

E – Que ânimo!
50. Nisto, lançando de si a sua capa, levantou-se e foi ter com Jesus.

F – Que pergunta!
51. Perguntou-lhe Jesus: Que queres que te faça?”
Que resposta!
“Respondeu-lhe o cego: Mestre, que eu torne a ver”.

G – Que milagtre!
H – Que alívio!
I – Que gratidão!
52. “Disse-lhe Jesus: Vai, a tua fé te salvou. E imediatamente tornou a ver e seguia a Jesus estrada fora.”

Marcos 10. 46 – 52

Escrito por: Pr. Odair Alves de Oliveira